É fundamental que o servidor compreenda a importância de barrar o novo pacote que apresenta, novamente, medidas que colocam a conta do rombo dos cofres do Estado para ser paga pelos servidores e contribuintes.

A maioria das iniciativas semelhantes já foram rejeitadas pela população, servidores e pela própria Alerj, por duas vezes.

Leiam o Termo de compromisso entre o Estado do RJ e a União (link abaixo) para entenderem que é a própria existência do serviço público e dos servidores que está em jogo. A título de exemplo, trazemos os seguintes itens:

1 – A contribuição previdenciária será elevada para, no mínimo, 14%; (prazo indefinido)

2- Alíquota adicional extraordinária de, no mínimo, 8%; (mínimo 3 anos);

3- A Cedae (empresa superavitária e não dependente) será entregue como garantia (penhor) para amortizar dívidas com credores (o que não resolverá nada, pois proposta semelhante já foi realizada em momentos anteriores e a dívida só aumentou). Além disso, os recursos hídricos serão fundamentais em futuro próximo. O preço do serviço se elevará, além da grande demissão de trabalhadores que foram concursados, como nós!

4- NÃO HAVERÁ CRIAÇÃO DE NOVOS CARGOS, EMPREGOS OU FUNÇÃO (somente reposição)

5- NÃO HAVERÁ AUMENTO SALARIAL

6- NÃO HAVERÁ AUMENTO DE BENEFÍCIOS DE QUALQUER ESPÉCIE

7- ESTÃO VEDADAS ALTERAÇÕES NAS ESTRUTURAS DAS CARREIRAS

Como visto, o servidor não pode aceitar tamanha aberração! A crise atingirá a todos servidores, não haverá exceção!! É hora de acordarmos, agirmos e nos mobilizarmos!

Veja a íntegra do acordo no link abaixo:

PDF iconpeca_2_aco_2981.pdf

Deixe um Comentário