servidores-marcam-presenca-em-evento-para-debater-assedio-moral-e-sexual-no-mprj

Na tarde da última sexta-feira (27/09) realizou-se o evento-campanha “MPRJ contra o assédio moral e sexual”. Organizado pela Comissão de Prevenção ao Assédio Moral e Sexual (CPAM), a partir de um projeto apresentado pela Assemperj, o evento-campanha lotou o espaço multimídia do Edifício das Procuradorias. A abertura do evento contou com a presença do presidente da Assemperj/SINDSEMP-RJ, Flávio Sueth, e, representando a Administração Superior do MPRJ, o Procurador Geral de Justiça, Dr. Eduardo Gussem, o Secretário Geral do MPRJ, Dr. Dimitrius Viveiros, e o Diretor do IEP/MPRJ, Leandro Navega.

Na sua fala de abertura, Flávio Sueth lembrou que a CPAM foi constituída a partir de uma demanda da associação e que foi uma grande conquista institucional dos servidores. Lembrou também que é dever do Ministério Público, desde a sua gênese constitucional,  a defesa de direitos:

“O MPRJ tem um papel fundamental no nosso país e o dever de defender os nossos direitos vem lá dos debates da constituinte, onde a palavra mais repetida segundo pesquisa realizada nos documentos históricos da época era exatamente: DIREITOS. E defender a dignidade dos seus servidores no ambiente de trabalho é defender os seus direitos mais fundamentais”, afirmou Sueth.

De acordo com o Procurador Geral de Justiça, Eduardo Gussem, o respeito é fundamental em qualquer relação, seja dentro ou fora do lar, e o alto comando do MPRJ abraça esta causa e está com os servidores. As palestras, neste sentido, segundo ele, são enriquecedoras e colaborarão muito para a nossa evolução e aprendizado.

“Hoje observamos alguns movimentos de pessoas assediadas em Hollywood, no MPRJ, nas relações privadas, em qualquer ambiente escolar, profissional, e é isso que precisamos coibir. É esta conscientização que temos de fazer. Todos nós devemos respeito, mexeu com um mexeu com todos, isso para nós é muito caro. São princípios que devemos trazer de casa, não temos que ter diferenças no elevador ou na portaria, todos somos iguais aqui dentro. Isso que pregamos é uma cultura que infelizmente em pleno século XXI custe um pouco a avançar”, afirmou Gussem.

Após as falas de abertura, os expositores convidados passaram à apresentação acadêmica e institucional do tema. O evento foi dividido em dois painéis temáticos. Falaram sobre o assédio moral a assistente social do TRT e doutora em serviço social, Karla Valle, e a Procuradora do MPT, Luciana Tostes. No painel sobre assédio sexual, falaram a pesquisadora da Fiocruz e doutora em educação, Cristiane Andrade, e, finalizando o evento, a Major Cláudia Moraes, subchefe do programa de prevenções da PMERJ.

Para o vice-presidente e representante dos servidores junto à CPAM, Vinicius Zanata, o evento-campanha foi um sucesso e um grande marco institucional no combate à violência laboral no MPRJ. Ele lamenta, porém, que o debate ainda não tenha despertado interesse dos membros do MPRJ:

“Os servidores do MPRJ vieram em grande número, demonstrando que o tema tem repercussão e relevância para a classe. Lamentamos, porém, a tímida presença de membros. Sabemos que o assédio vertical, ou seja, da chefia contra seu subordinado, é o mais comum em qualquer espaço laboral. Se essa campanha, que é essencialmente de sensibilização e conscientização, não chegar àqueles que ocupam a maioria dos postos de chefia da instituição, o trabalho da comissão não terá a efetividade desejada”, afirmou o representante.

Durante o evento foram distribuídos exemplares da cartilha de Prevenção e Enfrentamento ao Assédio Moral e Sexual, bem como apresentados os cartazes da campanha MPRJ CONTRA O ASSÉDIO MORAL E SEXUAL, os quais serão impressos e afixados nos murais e espaços comuns das dependências da sede e cada Centro Regional da instituição.

Deixe um Comentário

[huge_it_slider id='2']