Movimentos sociais e centrais sindicais foram ontem (05/12), em diversas capitais do país, às ruas protestar contra a proposta de reforma da Previdência do presidente Michel Temer (PMDB). Ocorreram paralizações, atos, bloqueios de rodovias e avenidas, ocupações de prédios do INSS e marchas, dentre outras iniciativas. Militantes do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) iniciaram, dentro da Câmara Federal, em Brasília, uma greve de fome em protesto às novas regras para a aposentadoria rural.

O objetivo das ações em todo país foi alertar a população sobre o ataque aos direitos dos trabalhadores, como o aumento de anos de contribuição e o rebaixamento do valor da aposentadoria, além da penalização ao trabalhador do serviço público. Pequenos municípios e estados que dependem da renda dos aposentados também serão prejudicados. Roraima, por exemplo, menor estado do país, segundo os dados do IBGE, recebe cerca de R$ 40 milhões aos seus mais de 40 mil assegurados.

A expectativa do presidente é que a reforma da Previdência seja votada na Câmara dos Deputados ainda em 2017, e por se tratar de emenda (PEC 287) à Constituição são necessários ao menos 308 votos de um total de 513 deputados para aprová-la.

(*) Com informações de portais de notícias. Foto: Sindicato dos Aposentados.

Deixe um Comentário