O Movimento Unificado dos Servidores Públicos Estaduais (MUSPE), do Rio de Janeiro, suspendeu na manhã de ontem (22) a campanha “Servidor Sem Salário Tem Fome”. Durante uma coletiva de imprensa no Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do Rio de Janeiro (Sepe-RJ), os organizadores avaliaram como vitoriosa a iniciativa. Ao todo cerca de 9 mil cestas básicas foram distribuídas, somando ao todo aproximadamente 140 toneladas, quase o dobro da campanha realizada no ano passado. A captação e distribuição de alimentos poderão ser reativadas, caso os atrasos voltem a acontecer.

O MUSPE agradece os apoios da Igreja Católica e da ONG Ação Cidadania do Betinho, além da solidariedade de muitos servidores, entidades de classe e a população em geral para arrecadar e distribuir essa quantidade de comida. Os trabalhadores da área de educação e saúde foram os que mais retiraram as cestas básicas.

De acordo com Marta Moraes, coordenadora do Sepe-RJ, essa campanha é parte de toda uma luta que também está nas ruas em defesa do servidor e principalmente dos serviços públicos que estão cada vez mais sucateados.

“A pauta do movimento continua sendo o não parcelamento do 13º salário e a retomada do calendário de pagamento para o segundo dia do mês. É importante deixar claro que a campanha se insere num contexto de resistência denunciando os salários atrasados de várias categorias”, destacou.

Segundo Thais Rabelo, da Asdperj (Associação dos Servidores da Defensoria Pública do Rio de Janeiro), há anos as categorias não recebem reajuste salarial e os direitos previstos na constituição não estão sendo respeitados.

“Enquanto os serviços públicos estão precarizados e o serviço da saúde privada fica cada vez mais caro, por exemplo, aumentam as demandas da Defensoria e do Ministério Público que já estão extremamente sobrecarregados”, disse.

É uma lógica inversa estabelecida pelo Estado, acrescentou Flavio Sueth, presidente da Assemperj. “Nesse momento de crise é quando as pessoas mais precisam de serviços públicos, enquanto o governo está diminuindo cada vez mais os investimentos públicos como solução para a crise”, pontuou.

A Assemperj e o SindSemp-RJ participaram ativamente da campanha, tendo entregue aproximadamente R$ 16.000,00 em cestas, além dos materiais arrecadados nas caixas de coletas disponibilizadas nos prédios do MP da capital, Niterói e Campos, dentre outros.

A coletiva foi divulgada em diversos meios de comunicação, como no RJ TV.

Deixe um Comentário