Na tarde dessa quarta-feira (31), representantes do Movimento Unificado dos Servidores Estaduais protocolaram novo pedido de impeachment do governador Luiz Fernando Pezão, e de seu vice, Francisco Dornelles.

O pedido tem como base as denúncias de irregularidades apresentadas pelo Tribunal de Contas do Estado do Rio (TCE-RJ) que rejeitou, ontem (30), por unanimidade, as contas de 2016 apresentadas pelo governo estadual para o período.

O parecer do TCE apontou quatro irregularidades, 25 improbidades e fez 54 determinações a serem cumpridas pelos governantes.

O déficit financeiro do governo Pezão em 2016 chegou a quase R$ 11,3 bilhões. Dados da Secretaria de Fazenda mostram que o Estado deixou de arrecadar R$ 10 bilhões por conta da política de benefícios fiscais concedidos entre 2011 e 2016.

Servidores pedem a saída de Pezão pela quarta vez

Este é o quarto pedido de impedimento feito pelo Muspe em menos de quatro anos. “Diante do parecer e da rejeição de suas contas pelo TCE, fica evidente que Pezão não tem mais condições de governar. Esperamos que desta vez o presidente da Alerj, Jorge Picciani, não arquive o pedido”, afirma o presidente da Associação dos Servidores do MPRJ (Assemperj), Flávio Sueth, que assinou o documento pelo impeachment junto de dirigentes de várias entidades de categorias que compõem o Muspe, como os bombeiros, servidores da educação técnica e tecnológica, do Detran, polícia civil, defensoria pública e professores.

Deixe um Comentário